Bem-vindo à Norópolis

Muhal Richard Abrams (EUA)


50 Anos de AACM: Muhal Richard Abrams (EUA)
Piano Solo

Festival Jazz na Fábrica 2015

13 e 14 de agosto | Sesc Pompéia (Teatro) | 21h
Sesc Pompéia (teatro): Rua Clélia 93, Pompéia; São Paulo/SP
$15 / $25 / $50
Ingressos já à venda online e nas unidades do SESCSP
+ SESCSP


O mundialmente renomado pianista e compositor Muhal Richard Abrams está na vanguarda da cena musical por mais de 40 anos. Muhal é co-fundador da  Association for the Advancement of Creative Musicians (AACM), fundador da  AACM School of Music e presidente da edição de New York da AACM.

Muhal foi o primeiro ganhador do grande premio de jazz  "The JazzPar Prize", que lhe foi dado em 1990 pelo  Danish Jazz Center em Copenhagen, na Dinamarca. Em 1999 o prefeito de Chicago  Richard M. Daley, declarou o dia 11 de abril de 1999 como Dia de  Muhal Richard Abrams. Em 2010 Mr Abrams foi introduzido ao  "Jazz Hall of Fame" da revista DownBeat, entre muitos outros prêmios e realizações.

Exceto por um breve período estudando música eletrônica no  Chicago Musical College e Governors State University in Chicago, Dr. Abrams é predominantemente um autodidata que, através de muitos anos de observação, análise e prática como um musico profissional, desenvolveu um grande comando de diversos estilos tanto como pianista como compositor.

Muhal e os membros da AACM são responsáveis por alguns dos estilos mais originais de encarar musica e composição nas últimas quatro décadas.

Algumas composições de Abrams: "String Quartet #2", interpretada pelo Kronos String Quartet em 1985 no Carnegie Hall (NY),  "Piano Duet #1", por  Ursula Oppens e Frederic Rzewski em 1986, "Saturation Blue" interpretada pelo Brooklyn Philharmonic Orchestra Chamber Ensemble, "Folk Tales 88'" pela Brooklyn Philharmonic Orchestra em 1988, "Transversion I OP. 6" tocada pela  Detroit Symphony Orchestra, "What A Man" commissionada e interpretada pela Black Repertory Ensemble em nome do Center for Black Music Research na Columbia College e The Friends of the Chicago Public Library em homenagem ao falecido prefeito Harold Washington e para comemorar a inauguração da Honorable Harold Washington Library em 1991; "Duet for Violin and Piano", comissionado pelo  McKim Fund na Library of Congress, 1996; "Impressions 1" pela SEM Ensemble, 1997, "2000 Plus The Twelfth Step"interpretada pela Carnegie Hall Jazz Band, 1999.  " Tomorrow's  Song, As Yesterday Sings Today" tocada pela American Composers Orchestra no Carnegie Hall, 2000.

Além de aulas particulares, Dr. Abrams ensinou composição e improvisação no  Banff Center do Canada, Columbia University em New York City, Syracuse University em Syracuse, New York, no New England Conservatory in Boston, Mass, no BMI composers workshop em New York City, e na Sibelius Academy em Helsinki, Finlandia. Muhal está compondo e arranjando trabalhos para grandes orquestras e também orquestras de câmara.



Muhal estudou na  DuSable High School em Chicago. Em 1946, começou aulas de música na Roosevelt University, mas " não aprendi muito com isso, porque não era o que eu estava ouvindo nas ruas". Foi quando resolveu estudar de maneira independente: "Eu sempre tive uma habilidade natural para estudar e analisar as coisas. Usei essa habilidade, mesmo não sabendo o que era (era apenas um instinto), e comecei a ler livros."

Os livros de  Joseph Schillinger foram muito influentes para o desenvolvimento de Abrams. Nas suas proprias palavras: Depois disso, eu adquiri um pequeno piano e comecei a estudar e aprender o instrumento e também a ler as notas, ou, antes de tudo, em que tom a musica era. Demorou bastante tempo e levou muito suor. Mas eu analisei e estudei e em algum tempo eu estava tocando com os musicos da cena. Eu ouvia  Art Tatum , Charlie Parker ,  Thelonious Monk ,  Bud Powell e muitos outros e me concentrava em  Duke Ellington e Fletcher Henderson para estudar composição. Mais tarde, consegui partituras e estudei composição clássica e comecei a praticar peças clássicas no piano.

Seus primeiros shows foram tocando Blues, R&B e hard bop no circuito de Chicago e trabalhando como sideman com gente como Dexter Gordon, Max Roach, Ruth Brown e Woody Shaw. Em 1950, começou a escrever arranjos para a banda de King Fleming, e em 1955 tocou na banda de hard bop  Modern Jazz Two + Three, com o saxofonista tenor Eddie Harris. Depois desse grupo terminar, Abrams se manteve na cena ate formar, em 1962, a Experimental Band, onde começou a usar conceitos do free jazz.  Foi essa banda, com sua formação flutuante, que acabou evoluindo para a  Association for the Advancement of Creative Musicians (AACM), que começou em maio de 1965 com Abrams como presidente. Ao invés de tocar em clubes noturnos e bares, os membros da AACM alugavam teatros e lofts onde eles podiam tocar para audiências atenciosas e interessadas. O album  Levels and Degrees of Light  (1967), foi a primeira gravação com Abrams como lider. Nele, Abrams toca com os saxofonistas   Anthony Braxton, Maurice McIntyre, o vibrafonista Gordon Emmanuel, o violinista Leroy Jenkins, o baixista Leonard Jones e a vocalista Penelope Taylor.  

Abrams se mudou permanentemente para New York  em 1975 onde esteve envolvido na cena local dos Lofts de Jazz.

Em 1983, ele estabeleceu a edição de New York da AACM.

Durante os anos 1970, Abrams compôs para orquestras sinfônicas, quartetos de cordas, piano solo, voz e big bands, além de fazer uma serie de gravações para grandes ensembles que incluem harpa e acordeon. Sua influência é enorme, tendo gravado com diferentes artistas no inicio de sua carreira, lançando discos importantes como líder, e escrevendo trabalhos de musica clássica. Gravou inúmeros discos como artista solo e líder e colaborações com artistas como Anthony Braxton, Marion Brown e Chico Freeman.  

Em 1990 ganhou o Jazzpar Prize. Em 1997 recebeu o   Foundation for Contemporary Arts Grants to Artists Award. Em 2010, Abrams recebeu o  Lifetime Achievement Award pelo grande festival de jazz de New York, Vision Festival. 

Abrams tem gravado e viajado pelos Estados Unidos, Canadá e Europa com suas orquestras, sexteto, quarteto, duo e como pianista solo.